Web DesignUI DesignUX Design

Heurísticas de Nielsen: O que são?

Olá designers!

Você conhece algo sobre as Heurísticas de Nielsen? Saiba que todo designer deveria conhecê-las e nesse artigo você vai entender melhor do que se trata esse tema.

As Heurísticas de Nielsen são 10 princípios de avaliação de usabilidade de interface de sites, feitas por Jakob Nielsen, cientista da computação, com PhD em interação de Homem e Máquina. Estes princípios são fundamentais na hora de projetar uma interface. Utilizando as heurísticas de Nielsen você tem menos chances de falhar no seu projeto! Confira o que cada lei de Nielsen diz:

1. Visibilidade do status do sistema

O usuário sempre precisa saber o que está acontecendo, ou seja, tente sempre mostrar ao usuário onde ele está, para onde ele vai ou para quais ambientes ele pode ir dentro daquela interface. Perceba que no YouTube ao visualizar um vídeo, os vídeos que irão iniciar após o término do atual aparece ao lado, isto é um exemplo prático de visibilidade do status do sistema.

2. Equivalência entre o sistema e o mundo real

Muita atenção para à iconografia que você usa nas suas interfaces, e sempre tente ser o mais direto e objetivo o possível. Está fazendo um checkout? Utilize um ícone de uma bolsa. Está fazendo uma experiência de edição? Utilize um lápis, um pincel ou algo que possa transmitir a mensagem da melhor forma, para que o usuário entenda a partir de uma experiência real.

Ad

3. Liberdade e controle para o usuário

Sempre tente dar liberdade ao máximo ao seu usuário! Deixe o usuário excluir, ir, voltar, desfazer ações feitas por engano e tudo o que tiver direito. Não induza o usuário limitando ele a coisas muito simples e conseda liberdade dentro da interface.

4. Consistência e padronização

Mantenha sempre padrões de identidade visual no seu projeto. Faça com que sua interface seja consistente com um bom styleguide, com padrões de tipografia, botões, cores etc. Isso ajuda o usuário a se manter confortável dentro do mesmo ambiente o que evita confusão dentro da interface e facilita o entendimento.

5. Prevenção de Erros

Como designers sempre temos que optar por prevenir do que remediar e o mesmo vale aqui. Sabe aquelas janelas que abrem dizendo “você tem certeza que deseja excluir este isso?”, isto é claramente uma prevenção de erro. O que além de facilitar muitos problemas por parte do sistema, ajuda o seu usuário a nunca perder o que estava fazendo.

Ad

6. Reconhecimento em vez de memorização: 

Sempre mostre ao seu usuário qual foi o caminho que ele fez para chegar até certa tela do sistema, pois é muito difícil você fazer com que ele lembre cada passo quedeu. O uso de breadcrumbs (migalhas de pão na tradução), por exemplo, é uma ótima forma de ajudar o usuário a reconhecer seu caminho dentro da interface, impedindo que ele se perca e se force a lembrar.

7. Flexibilidade de uso

Sua interface precisa ser pensada para tanto para usuários leigos, quanto para os mais experientes. Então com o tempo, forneça sempre atalhos para realizar as tarefas mais utilizadas. Assim como o já conhecido “ctrl + c” para copiar ao invés de clicar com o botão direito no mouse e depois selecionar a opção “copiar”, da mesma forma você tem que dar atalhos para otimizar a utilização da interface.

8. Estética e minimalismo

Mostre sempre apenas as informações que usuário precisa saber, assim você torna o visual mais leve e objetivo, diminuindo o tempo de decisão do usuário e aumentando a eficácia da sua experiência. Quanto mais elementos eu agrego a uma área da minha interface mais difícil se torna a decisão do meu usuário.

9. Reconhecimento de erros

Mostre ao seu usuário onde ele errou e como ele deve fazer para consertar. Identifique através de cores, ícones, mensagens de erro e até mesmo uma mudança no estado do componente. Desta forma você facilitará o seu usuário a continuar sua jornada, um ótimo exemplo é quando você erra a senha do login, a mensagem de erro exibida é o que você deve sempre fazer mostrar!

10. Ajuda

Oriente o seu usuário a resolver os problemas sozinho, sejam através de uma FAQ, artigos ou até mesmo com tooltips pela interface. Um exemplo clássico disso é o atalho “F1” ou aba de Ajuda onde temos um catálogo de perguntas frequentes e um dicionário de funções que facilitam o entendimento do usuário na utilização da interface.

As heurísticas de Nielsen são leis que ajudam sempre a melhorar a sua interface, utilize sempre em seus projetos e dificilmente o seu usuário sentirá amadorismo no seu trabalho.

Experimente você também, crie um briefing de um projeto para testar seus conhecimentos ou utilize um projeto antigo e verifique fazendo uma análise heurística, isso com certeza irá te ajudar a memorizar e sempre ter êxito em criar um interface completa e profissional.

Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos, colegas e seus grupos em redes sociais.
Não esqueça de deixar um comentário pra gente!

Um Comentário

Deixe um comentário

Artigos relacionados

Ad
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor desabilite o seu bloqueador de anúncios para prosseguir. Obrigado!